Papo Cabeça

Eu cai, um milhão de vezes eu cai, e acredito que ainda levarei alguns tombos, mas não me preocupo com isso, talvez eu esteja falando besteira se disse que não busco cura, verdadeira de loucura dizer que não busca cura, não eu não busco, sabe eu busco VIDA, porque eu já acredito estar curada pois isso é o que me minha forma de pensar determina, eu procuro direcionar meus pensamentos em coisas boas, na minha evolução, na vida que eu posso ter, isso se eu sempre procurar entender e determinar que eu POSSO e CONSIGOTUDO.

A menina das pernas finas, cabelos enrolados, meio azul, meio roxo, meio verde, de sorriso largo, cheia de piadas, risadas estranhas, que tem medo de água, altura, mão enrugadas, cheia de cicatrizes no corpo, algumas causada pelas molecagens, outras pela vida.

Ao analisar a origem da palavra COLABORAR, percebemos que ela vem do Latim colaborare, que é a junção do CO (com, junto) e LABORARE (trabalhar). Isso nos dá a ideia de que colaborar é, portanto, TRABALHAR JUNTO e esse junto invariavelmente significa uma via de mão dupla. Por vezes, solicitamos que os outros colaborem com a gente, mas creio que são poucas as vezes em que analisamos o quão colaborativos NÓS estamos sendo ao solicitarmos essa colaboração. Confuso? Sim, muito. Principalmente quando não possuímos o real discernimento de que é importante entender o outro e auxiliá-lo em seu processo de colaboração.

A doença de Crohn é um processo inflamatório crônico de etiologia ainda desconhecida, não curável por tratamento clínico ou cirúrgico e que acomete o trato gastrointestinal de forma uni ou multifocal, de intensidade variável e transmural, o que significa que pode envolver toda a espessura da parede intestinal e provocar úlceras (feridas) no seu revestimento interior, estenoses, abcessos e/ou fístulas (complicações infecciosas localizadas secundárias à extensão do processo inflamatório para fora da parede do intestino). Os locais de acometimento mais frequentes são o intestino delgado e o grosso.

Dor crônica pode causar sentimentos de angústia, desesperança tristeza e ansiedade, e para que haja alívio da dor, deve haver uma compreensão dela. Pessoas que tem dor tendem a entender que são incapazes de controla-la e vão se deixando levar pela dor e o sofrimento, cada pessoa lida com a dor de uma forma, algumas pessoas se adaptam e tem um bom convívio com ela, outras pessoas já se sentem incapazes e desconfortáveis.

Quando somos diagnosticados com uma doença crônica, temos uma sensação de impotência, pois nada podemos fazer a não ser continuar vivendo, e a forma que escolhemos viver à partir do diagnóstico é que vai fazer toda a diferença na nossa vida, o começo é muito difícil, não aceitamos a nova condição, mas com o passar dos dias e anos precisamos nos adaptar e ter uma relação com a doença, podemos escolher entre aceitar e viver bem da melhor maneira possível, buscando sempre o melhor de todas as coisas, ou então seguimos o caminho da negação e entrega à doença e esse é um caminho perigoso e doloroso a se seguir. O fato é que geralmente exemplos de superação da doença não estão do nosso lado, nunca tem um vizinho, um parente ou um amigo com um exemplo de superação à seguir e geralmente buscamos esse exemplo nas redes sociais e através de histórias contadas em filmes, seriados, novelas, etc, são histórias inspiradoras que nos fazem refletir sobre como estamos conduzindo nossa vida, nossa saúde, nosso relacionamento com a nossa saúde e com as pessoas à nossa volta.

Eu muitas vezes era capaz de ver anjos sentados a beira da minha cama, tentando conversar comigo assuntos esquecidos, ou que talvez eu tenha achado melhor não falar nada pra ninguém, nem pra eles, achei que deveria fechar portas, e não deixar nada mais entrar ou sair... Fui ficando estranha a cada dia, e tudo era tão estranho e feio dentro de mim, eu fui perdendo a sensibilidade de viver, viver era tão estranho e incompreensível, não entendi nada, e eu nem queria que ninguém tentasse me explicar qualquer coisa, eu só queria ficar em paz e chorar calada e quieta eu me meu travesseiro.

Associação de Pessoas com Doenças Inflamatórias Intestinais de Santa Catarina

© 2018 - Este site é produzido com a constante colaboração de nossos amados voluntários

Feito com Por Hospedado em
logo joomla logo jbfloripa logo itm networks